FEB - O Brasil na 2º Guerra Mundial

FEB - Força Expedicionária Brasileira


A Força Expedicionária Brasileira, FEB, foi a divisão do exército brasileiro que combateu na Segunda Guerra Mundial ao lado dos Aliados na Itália.

Antecedentes:

A Segunda Guerra Mundial teve início em 1939 tendo como protagonistas a Alemanha e a Itália, países que eram guiados por doutrinas autoritárias. O nazismo e o fascismo, respectivamente, expandiam-se territorialmente pela Europa em ações militares. Enquanto isso, o Brasil era governado pelo presidente Getúlio Vargas. Este, naquele momento, desenvolvia no país uma ditadura baseada na defesa contra a suposta ameaça comunista, era o chamado Estado Novo.


O governo de Getúlio Vargas era nacionalista, no início da Segunda Guerra Mundial o país não se envolvia diretamente com o conflito. O Estado Novotinha certo tipo de ligação com o fascismo, mas a influência estadunidense na América Latina era mais forte e tinha também seus reflexos no Brasil. 


Depois que os Estados Unidos entraram na guerra, passaram a pressionar o Brasil por uma posição bem definida quanto ao conflito que corria no mundo, para os estadunidenses foi uma oportunidade de fragmentar o governo nacionalista de Getúlio Vargas, fazendo-o posicionar-se contra os estados ditatoriais.


O Brasil entra na Guerra:


A entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial foi grandemente influenciada pelos Estados Unidos, mas um evento foi importante para que a opinião pública passasse a defender também a entrada. Alguns navios brasileiros naufragaram no litoral Atlântico, supostamente atingidos por submarinos das forças nazistas. O evento fez com que houvesse mais pressão para a declaração de guerra contra os países do Eixo, foi o que aconteceu em 22 de agosto de 1942.

 Quando o Brasil finalmente declarou guerra aos países do Eixo não estava nada preparado para enviar combatentes para a batalha. O exército brasileiro dispunha de equipamentos militares sucateados e combatentes despreparados. Somente em 1944, no dia 2 de julho, que militares brasileiros, chamados pracinhas, tomaram ruma à Europa. Após algum tempo no Rio de Janeiro em treinamento, o contingente militar foi dividido entre os militares que ficariam defendendo a capital federal e os militares que iriam combater nos campos de batalha europeus.

A Força Expedicionária Brasileira, FEB, saiu do Brasil sob o comando do general João Batista Mascarenhas de Morais com destino à Nápoles. Tendo desembarcado no território italiano, a FEB foi anexada ao 4º Corpo do Exército dos Estados Unidos, que era comandada pelo general Willis D. Crittenberger e submetido ao general Mark Clark, onde receberam alimentos, roupas e armamentos para a guerra. Os recursos da tropa brasileira eram muito escassos e velhos, tiveram ainda de receber novo treinamento e armamento para só então iniciar campanhas.


A FEB era constituída por uma divisão de infantaria composta por 25.334 membros e tinha como lema “A cobra está fumando”. A primeira campanha da FEB se deu em setembro de 1944 no norte da cidade de Lucca, onde obteve as primeiras vitórias e tomou Massarosa, Camaiore e Monte Prano. Os primeiros problemas da FEB se deram em outubro com as batalhas em Barga. Mas a infantaria brasileira fez muito sucesso com seu desenvolvimento e conquistas na guerra, foi designada para tomar o monte Castello sozinha e por isso teve derrotas no final de tal mês.


Curiosidade:

A origem do emblema da FEB foi uma disputa política. Na época, os oficiais do exército brasileiro estavam divididos: parte era favorável aos aliados, outros apoiavam o Eixo nazi-fascista e propunham a nossa neutralidade diante da ocupação de praticamente toda a Europa. Segundo um artigo da FGV, a FEB "
Adotou como emblema uma cobra fumando, em alusão àqueles que diziam que era mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil participar da guerra".

A cobra fumando simbolizava a impossibilidade. Quando o Brasil finalmente resolveu apoiar os aliados, a imagem improvável foi escolhida para representar a vitória política daqueles brasileiros que queriam lutar pela libertação da Europa (mesmo vivendo, ironicamente, sob a ditadura Vargas). Como uma das qualidades do Python é tornar tarefas muito difíceis possíveis, achamos que o símbolo tem tudo a ver.

As Batalhas:

O comandante brasileiro sugeriu então uma operação conjunta com o V Exército dos Estados Unidos, que foi nomeada de Operação Encore, na qual avançaram juntos e os brasileiros tomaram Monte Castello e Castelnuevoe os estadunidenses tomaram Belvedere e Della Torraccia. Essas conquistas foram importantes para a continuação da campanha dos Aliados, que puderam conquistar mais territórios e finalmente derrotar a chamada Linha Gótica do exército nazi-fascista que defendia o norte da Itália.
Praçinhas avançam pela Itália

A FEB entrou no final da guerra, mas foi decisiva. Em 1945 ainda avançou até Susa e uniu-se aos franceses na defesa da fronteira com a Itália. O saldo da FEB foi de 450 praças, 13 oficiais e 8 pilotos mortos, somando ainda mais aproximadamente 12 mil feridos pelos combates.



A campanha do Brasil na guerra colocou em xeque o governo de Getúlio Vargas, que após o fim da mesma acabou sendo deposto do governo. Os militares voltaram ao Brasil saudados, foram grandes combatentes e aprisionaram 20 mil soldados inimigos, além de 80 canhões, 1500 viaturas e 4 mil cavalos. Mais tarde foi criada a Associação Nacional dos Veteranos da FEB para manter viva a memória desses bravos combatentes brasileiros.


Edição Total: História Espetácular

24 comentários:

Luiz Fernando disse...

E ainda existem brasileiros que tentam rebaixar os feitos desses heróis.

Tive um tio-avô que combateu na Itália na Segunda Guerra, e parabenizo o blog por manter viva a memória desses brasileiros que muito contribuíram para que o mundo fosse livre...

Abraços...

Anônimo disse...

Realmete é lamentavel o desinteresse por parte das autoridades principalmente, com relação a esse assunto. Os italianos tem um reconhecimento e um respeito pela FEB muito maior doque os brasileiros.
Meu avô era segundo tenente da e FEB e participou da tomada de Monte Castelo.

Tassia de Lima disse...

Realmente é lamentável meeeesssmo! Meu avô não conseguiu se aposentar como ex-combatente até hoje!!! Sabe o que é isso? Ele está com 89 anos, entrou com pedido de aposentadoria em 1983, ou seja, eu nem tinha nascido ainda!!!! É uma sacanagem imensa, um desrespeito! É phoda!!!! Ele tem uns "colegas de guerra" que conseguiram a aposentadoria e ele não! O que eu acho é que tem algum féla que está recebendo o dinheiro do meu avô! Phoda!

Tassia de Lima disse...

Desculpa os palavrões... é que eu fico indignada qdo o assunto é 2ª Guerra e ex-combatentes...

Anônimo disse...

na minha cidade teve um soldado acho que era enoch garcia leal ou o zezinho portugal

Harlis disse...

Tive a oportunidade de julho deste ano visitar o museu da FEB em S. João Del Rey quando tive a sorte em conhecer no local o Cap. Ari ex-combatente na batalha de Montese onde foi ferido pelo nazistas. Retornou ao Brasil e continuo sua carreira militar. Hoje é um dos responsáveis pelo museu e também ministra palestras. Foi um passeio fantástico e aconselho a todos que o façam e conheçam um pouco da história e da bravura desses brasileiros. Forte Abraço!

Guilherme disse...

Muito obrigado pelos comentários pessoal realmente os veterenos de guerra devem ser muito honrados, 3 tios do meu avô participaram da guerra, é uma pena que todos eles ja morreram ;[

Anônimo disse...

muito bom cara parabéns

Thiago / tatabueno disse...

Embora eu ache que qualquer organização militar não cabe mais na sociedade atual, os feitos destes homens na segunda guerra mundial deveriam ser muito mais reconhecido e divulgado, o Brasil vive procurando herois, ai estão alguns, mas em geral eles preferem um goleiro ou atacante.

R. Carvalho disse...

Concordo com tudo o que foi dito aqui, apesar das atrocidades ja cometidas pelo exército brasileiro contra o próprio povo, a quem juram proteger, os feitos daqueles que participaram da 2° grande guerra foram grandiosos e merecem todo o respeito e admiração do povo brasileiro

Murilo disse...

È muito emocionante estudar os feitos da FEB. Amo as historias da segunda guerra, os exemplos de superação em meio as adversidades.

Mas é triste que essa juventude mimada de hoje, não tenha o menor respeito por esses herois.
Devia sim ser materia escolar.
Lição para a vida.
Falta respeito para esse juventude de hoje, onde os valores culturais estão invertidos.

Parabens FEB, sempre me emociono com o exercito brasileiro.

Murilo disse...

Para quem quer continuar lendo sobre o assunto

HISTÓRIA DA FEB
Col: Raimundo Pereira e Paulo Bodmer
(textos originais extraídos dos versos das estampas)

http://www.brasilcult.pro.br/historia/feb/hist05.htm

São um conjunto de cartões, com imagens, cada imagm, mostra um fato interessante sobre a FEB
confira!

Anônimo disse...

Muito interessante, é realmente a segunda guerra foi crucial para a queda do governo de Vargas.

Araujo Neto disse...

Parabéns pela iniciativa. O Brasil atual não gosta do seu passado e procura a todo custo ocultá-lo. A mentira e a dissimulação estão ao nosso redor. Jovens cada dia mais ignorantes recebem seus diplomas; um verdadeiro estelionato cultural com um povo. Minhas saudações aos parentes de Febianos - Verdadeiros Heróis do Brasil.

Anônimo disse...

faltou parnamirim field

Anônimo disse...

não se pode esquecer que a luta dos pracinhas foi por liberdade e democracia, td bem que nos modelos estadunidenses, mas ainda assim uma luta honrada, não se fala sobre eles e suas conquistas exatamente por isso, tivemos uma ditadura no pais, e td o que se refere a "liberdade e democracia" tinha que ser subtraida, como poderiam os militares no poder, homenagear pessoas que lutaram por direitos tão significativos e nobres enquanto pisavam na constituíção e usurpavam o direito a democracia?

virão os criticos a defender os militares e sua ditadura, dizendo que foi necessária, com apoio dos mesmos estadunidenses usando técnicas de tortura nazistas, por conta de manter comunismo fora do país, outra besteira, um poder totalitário e antiquado, só ver a beleza que é cuba, que sobrevive do dinheiro mandado pelos exilados a parentes.

assim as páginas de nossa estória são reescritas ao bel prazer de quem está no poder, mas td bem somos treta!

uma pena mesmo, não termos educação nem cultura para valorizar os verdadeiros herois nacionais...

Anônimo disse...

Sempre tem um babaca (ou babnacas) ptralhas esquerdopatas pra falar sobre as "atroççidadis" do militares no Brasil, que ousaram defender o país destes porcos que agora tomaram o país de assalto pelo voto da "craçi Ç" do lulladrão e sua gangue! O que aconteceu de 61 em diante foi a luta do exército e sociedade civil brasileira contra o mesmo grupelho de canalhaS ditadores facistas/stalinistas e assassinos que hoje são "guvernu"...e esses "éróiz" odeiam a FEB e o EB!

Anônimo disse...

Grandes merdas. O Brasil foi escalado apenas para missões secundárias em um país que já tava batido.
Na verdade, o Brasil só entrou na guerra por um ultimato dado pelos EUA, já que Vargas era simpatizante do fascismo - e malandro que só, não ia querer ficar se metendo em briga dos outros.

Anônimo disse...

Sobre alguns fatos citados a cima, dizem q "militares brasileirod q julga, defender seu povo, fizeram mal a eles proprios". Fiquem sabendo q apos a revolução de 1946, economicamente o Brasil se desenvolveu muito, algumas obras faraonicas q foram criticadas seus feitos na epoca, sustenta milhares de brasileiros ate hoje. E certo dizer q houve abuso de poder, mas dois pilares do militarismo são: HIERARQUIA E DISCIPLINA, algo q tentaram impor aos civis, talves por isso q o povo brasileiro não observou os fatos positivos q os militares trousse a populção brasileira. E so deixando mais claro o primeiro presidente eleito pelo pelo povo apos a ditadura foi nada mais que FERNANDO COLLOR DE MELO, "esse sim fez muito bem para o Brasil,"!
Agora em relação ao site, concerteza a historia da FEB naum pertence somente aos brasileiros, pois na SGM a queda de Hitler teve ressalto sim sobre a FEB, a Italia era um dos principais tilos ha Alemanha. E isso e uma vergonha que principalmente nos livros q o GOVERNO manda para nossa escolas, nem muito menos citam o envolvimento FEB.
Alem do mais o povo brasileiro deve sentir orgulho aos pracinha que tombaram e rotornaram da europa! E aos familiares, que seus antepassados sirvam de exemplo, a não deixem essa historia ficar somente no passado carreguem aos seu futuros descendentes!

PRATRIA BRASIL!!!
e como diziam: A COBRA VAI FUMAR!!!

R Siedler disse...

Tive um tio avô que participou da segunda guerra mas lutava pelo exército alemão, depois veio para o Brasil com sua família e aqui estamos.

Anônimo disse...

Meu bisavô era italiano e fugiu da Itália no tempo da guerra com sua família e está vivo até hoje.
Mas eu sempre pensei que tinha descendentes franceses.
Não sei porque ele ñ quis ir na guerra...

Anônimo disse...

Tive um professor de Direito constitucional, que é fera, ele comenta em sala dos combates que participou na Itália... ele foi um dos 12 mil "pracinhas" feridos em combate.

Anônimo disse...

em dezembro de 1977 fui guardinha da lapa em são paulo,recebemos a visita de ex-pracinha chamado ANATOLE BRASIL.,então presidente de uma organização de ajuda a crianças em campinas..,be, nesta época tinha 13 anos mas ja era apaixonado por historias de guerra e este senhor contou-nos o motivo da cobra fumando"disse ele que estava ao lado da tenda quando um sagento se aproximou tentando pegar alguem cochilando ou fumando o que era proibido"logico"e alguem ou ele proprio se não me engano estava com o cigarro aceso,vendo o sagento logo jogou a pituca e o sagento o questionou o poruqe .,de imediato uma cobra passou porbaixo das folhas secas no chão.,disse ele "ai sargento não sou eu é a cobra que esta fumando" esta é a vedadeira estoria.
Sera que este senhor ainda esta vivo !?

José Walther Cândido Lopes disse...

-Vi muitos videos sobre a 'F.E.B.,e tem um que tem uma tropa formada numa praça na Itália, em forma hasteando a bandeira e cantando o hino nacional,quando derrepente foram atacados por avioês do inimigo ,ouve-se o roncar dos motores e o barulho das explosoês ao fundo,mas nenhum 'PRACINHA',sai de forma e também não param de cantar o hino nacional brasileiro, mostrando muitas coragem,civismo,ação e bravura. 'Deveriam mostrar muito esse video pra nossa juventude de hoje.

Postar um comentário