A Batalha de Termópilas


A batalha das Termópilas tornou-se conhecida graças à narrativa de Heródoto de Halicarnasso, na qual o historiador faz opor quatro milhões e meio de homens,arregimentados à força pelos persas, contra Leônidas e os seus trezentos espartanos, combatendo tão-só pela liberdade da sua cidade. Mas não havia apenas Espartanos nas Termópilas.

Antes da Batalha:


Eram tempos de guerra, as Cidades-Estado gregas estavam á frente de uma ameaça Persa, que vinha invadindo território helênico., sob o Comando de Xerxes, que continuava uma guerra já começada por seu pai, Dário I. No ano de 484 a.C , Xerxes chega com seu exército e marinha nas terras da Ásia Menor.

Esquema Gráfico da Batalha

De acordo com o filósofo Heródoto de Halicarnassus, ele possuía mais de 5 milhões de homens, mas hoje em dia especula-se que o número está em torno de 250 Mil soldados, o que não deixa de ser uma gigantesca ameaça, que com certeza conferia uma vantagem numérica vertiginosa em relação aos Gregos.

A Batalha:

Em 13 de setembro de 480 a.C., o exército persa, comandado pelo rei Xerxes, acampou diante do desfiladeiro de Termópilas, na costa leste da Grécia. Seus mais de 200 mil homens recrutados para derrubar os espartanos perdiam-se de vista. Contra eles, havia o rei Leônidas e somente 7 mil soldados. Confiante na visão aterrorizadora do contingente, Xerxes enviou um emissário para convencer os gregos a se renderem. “Nós iremos disparar tantas flechas que o céu vai escurecer”. “Melhor. Nós lutaremos à sombra”, respondeu o soldado Dienekes.

Os Imortais Persas:


Os Imortais eram a tropa de elite do exército do Império Persa da guarda real, que lutaram nas Guerras Médicas. O epíteto "Imortais" vem de Heródoto, que os chamou de os "Dez Mil" ou "Athanatoi" - do grego, literalmente, imorredouro. Os próprios persas provavelmente não utilizavam-se deste termo, entretanto.


Heródoto menciona que os Imortais eram uma tropa de infantaria pesada, comandados por Hinardes, que mantinha sempre a quantidade de 10.000 homens: cada membro morto, ferido ou gravemente enfermo era imediatamente substituído por outro e, durante as batalhas, os mortos e feridos eram recolhidos pelos companheiros e substituídos rapidamente, dando ao inimigo a impressão de que o grupo não havia sofrido perdas. Em suas fileiras eram aceites apenas persas e medos.

A Batalha continua:

Um dia depois, Xerxes atacou. Durante dois dias, suas melhores tropas foram massacradas na parte mais estreita do desfiladeiro e atiradas ao mar. Ele só venceu quando descobriu um atalho até a retaguarda espartana. Leônidas resistiu até a morte, cumprindo a promessa de só voltar para casa “com o escudo ou sobre ele”.



Um dos principais relatos do historiador Heródoto, essa história mostra o valor que os gregos davam a feitos e palavras. Como afirmou em 1958 a filósofa Hannah Arendt, no livro A Condição Humana, “com esses atos, os mortais poderiam encontrar o seu lugar num mundo onde tudo era imortal, exceto eles próprios”.


Minha Opinião:

A Batalha de termópilas é um exemplo de Heróismo e Resistência pelos Espartanos que resistiram até o último homem, eles perderam a batalha mais não em vão com a heróica resistência deles toda Grécia se moveu para combater os persas invasores e assim ganhando a guerra contra os Persas. Depois da guerra um tempo depois , um novo herói iria surgir na Macedônia o nome dele era: Alexandre o Grande, ele iria conquistar todo o império Persa e outros territórios chegando até as margens do rio Indo na índia.


Fonte do Texto: Guia do Estudande , Esparta 
Edição Total: História Espetácular

11 comentários:

Anônimo disse...

sempre tive uam duvida aconteceu mesmo essa guerra?

Anônimo disse...

Um livro muito bom tbm é o portões de fogo.

Therge disse...

a guerra aconteceu, e eram realmente 300 espartanos, mais eles nao estiveram sozinhos em nenhum momento... tinha varios exercitos junto aos espartanos, porem o exercito dos persas eram devastadores...

Anônimo disse...

"Portões de Fogo" de Steve Pressfield

Diego disse...

Xerxes não queimou atenas?

Anônimo disse...

Sim,realmente eram 300 espartanos,meu caro companheiro Therge.Eram 300 espartanos mas não somente,Herodoto,como já dito no texto,fala de 7 mil helenos(gregos),jonios,tebanos,lespios e varios outros povos tambem estiveram lá e lá lutaram...
Mas quando eles souberam que os persas logo os cercariam e isso era certeza de aniquilação recuaram,desistiram,desertaram.
Apenas 300 ficaram,diante da morte,por glória,liberdade,por Esparta...Então o grande Rei Leonídas,do alto da sua torre de orgulho e frieza,disse aos seus conterraneos: “Irmãos,irmãos...Almocem comigo, pois hoje jantaremos no inferno!!!”

montagens de fotos disse...

mto bom texto, parabens

Anônimo disse...

essa historia aconteceu sim

Anônimo disse...

Que bom seria se existissem mais pessoas como Rei Leônidas e os 300 de Esparta. Lutaram por uma causa não se importando com as consequências. Hoje nos diluímos em futilidades e não damos importância a nada, só nos importamos com o nosso umbigo, que pena!!!!

Samuel Santos disse...

Um grande exemplo,que nos demonstra que há valores pelos quais vale a pena dar a vida,e que mesmo diante das mais temíveis adversidades,com Coragem e Detrminação é possível resistir e Vencer!

nayson stevens disse...

Isso evidencia que muito treinamento duro ,e estrategia pode tornar qualquer força de combate tao eficiente quanto o exercito espartano Planejar e bolar uma estrategia diferente pra cada situaçao como os filmes do Cherloc Romes ou Tropa de Elite faz toda diferença vc usa a logica a seu favor e isso o brilhante Leonidas sania fazer muito bem:Somos mais fortes do que eles e temos um vasto conhecimento militar ,so precisamos de um campo de batalha aonde possamos subverter a vantagem numerica do exercito Persa,sendo assim logo temos grandes chances de vencer essa guerra.De fato Leonidas estava completamente certo a confiança que Xerches tinha de que seu exercito muito superior numericamente tinha vantagem leonidas tinha de que seu exercito com homens muito mais forte,melhor treinado e com sua estrategia traçada le daria vantagem.E de fato o treinamento duro que submeti os aspirantes a extremos e exaustivas horas de treinamentos tecnicos sao exenciais i e geralmente o fator determinante que diferencia uma tropa de elite de uma tropa comun

Postar um comentário