A Batalha dos Campos Cataláunicos


A eterna cidade de Roma sofreu um ataque feroz dos godos em 410 d.C., mas continuava sendo a capital oficial do Império Romano. Durante a década de 440, um novo inimigo surgiu para desafiar o que sobrara do império. Esse rival era Átila (406-453), líder dos hunos, povo da Ásia Central que havia derrotado todas as tribos desde sua terra natal até a Europa. Átila planejava reduzir o Império Romano. Desencorajado pelos fortes muros que circundavam Constantinopla, ele se voltou em direção à Gália (atual França) em 451 d.C.


Toda a Europa romana tremia quando o nome de Átila era mencionado. A selvageria de seus guerreiros era lendária. Alguns historiadores chegaram a dizer que os americanos do século XX não temiam as bombas de hidrogênio mais do que os europeus do século V temiam Átila. Átila e sua horda de guerreiros – estima-se que fossem de cem a trezentos mil – atravessaram o rio Reno e começaram a saquear muitas das cidades do leste da Gália.

Império de Átila, O Huno

Dois líderes surgiram para combater os hunos. Flavius Aetius (396? – 454), capitão dos soldados romanos, fez uma aliança temporária com Teodorico, rei da tribo visigótica. Embora os visigodos tivessem saqueado Roma em 410 d.C., eles representavam um obstáculo menos temível que os hunos.

O exército formado por romanos e visigodos encontrou os hunos em Chalons, cerca de 28 quilômetros ao norte de Troyes, na França de hoje. Não se conhece o tamanho do exército aliado, mas era provavelmente maior que o dos hunos. Átila abriu a batalha, mandando seus melhores homens diretamente contra a parte central da linha inimiga. Os hunos destroçaram o centro e depois se voltaram para a asa direita dos rivais, que era formada pelos visigodos. Átila estava perto da vitória, mas a asa esquerda do exército misto, composta por soldados romanos, manteve-se firme. Quando a cavalaria gótica lançou um contra-ataque, uma feroz batalha corpo a corpo se seguiu, com soldados de ambos os lados sendo impedidos de receber ordens de seus superiores.


Nessa confusão desesperada, os romanos e visigodos se saíram muito melhor que os hunos, e Átila acabou sendo forçado a ordenar uma retirada. Teodorico foi morto durante o combate e Aetius não aproveitou sua vitória, deixando Átila livre para ameaçar a Europa novamente no ano seguinte. Embora a batalha de Chalons não tenha representado uma vitória completa para os romanos e os visigodos, ela permitiu que a civilização romana perdurasse na Europa, muito além da Passagem de Átila e de seus violentos exércitos.

Depois da Batalha:

A derrota fez com que os hunos mudassem os planos e invadissem a Itália em 452, aproveitando a fragilidade do semimorto Império Romano. Há o mito de que Átila só não saqueou Roma por causa de um pedido do papa Leão I. O mais provável, porém, é que a falta de suprimentos e as epidemias da região tenham incentivado a retirada dos hunos. Um ano depois, Átila morreria.

Fonte do Texto: A História 
Edição Total:  História Espetacular

Para Entender:

Filme: Átila, O Huno
Documentário: Batalhas Decisivas

5 comentários:

Surprise Link disse...

Convido você a participar do agregador de links www.surpriselink.com, você vai se surpreender...
Para ser nosso parceriro e trocar banner clique AQUI

Diego Scofield disse...

Filme Perfeitoo .

Carlos: disse...

Muito bom seu post!!Só que Átila merece um filme melhor!

Demon disse...

eu adorei o filme, tenho até em dvd, foi o primeiro filme q vi com gerard butler

Rafael Muller disse...

estou adorando seu blog amo historia e filosofia ,metafisica ,cosmologia ,geocentrismo e ontologia

Postar um comentário