A Batalha de Little Bighorn


O general americano George Armstrong Custer, a caminho para destruir um novo acampamento indígena, cai numa emboscada montada por 2.500 guerreiros sioux comandados por Sitting Bull (Touro Sentado). Os 285 homens do destacamento de cavalaria perto do rio Little Bighorn, no estado de Montana. Isto não impediria que os brancos, ávidos de ouro, continuassem a invadir o território indígena. As chamadas ‘guerras indígenas’ somente teriam fim com a derrota dos Apaches de Geronimo, dez anos mais tarde.

A Batalha:

A batalha de Little Bighorn aconteceu em 25 de junho de 1876, no ano do Centenário da Independência dos Estados Unidos da América, nas proximidades do rio Little Bighorn (afluente do Bighorn, por sua vez um afluente do Yellowstone), no estado de Montana.


Ela opôs o sétimo regimento de cavalaria do exército dos Estados Unidos da América do famoso General Custer a uma coalizão de Cheyennes e de Sioux, unidos sob a influência dos também famosos lideres indígenas Touro Sentado (Sitting Bull) e Cavalo Louco (Crazy Horse).
                 Esquema gráfico da batalha de Little Big Horn:


A batalha foi o mais famoso incidente das Guerras indígenas nos EUA e resultou na vitória dos Lakota e Cheyennes do Norte. Um destacamento da cavalaria dos EUA comandado pelo General Custer foi aniquilado, foi a maior derrota do exército estadunidense durante as chamadas «Guerras Indias».

Esta batalha foi o mais famoso incidente das Guerras indígenas nos EUA e resultou na vitória dos Lakota e Cheyennes do Norte. Um destacamento do 7º Regimento da cavalaria comandado pelo Tenente-coronel George Armstrong Custer foi aniquilado.

A batalha é retratada no filme "Pequeno Grande Homem", estrelado por Dustin Hoffman. Neste filme, o hábito do General Custer e seus soldados de atacar acampamentos indígenas quando os guerreiros estavam ausentes e então assassinar mulheres e crianças é demonstrado.

Anteriormente, em 18 de setembro de 1862, os sioux eram derrotados e depunham as armas em Wood Lake pelo general Sibley. Desde o verão daquele ano os sioux do estado de Minnesota se haviam lançado numa guerra sem misericórdia contra os brancos norte-americanos. 

Sob o comando do chefe Little Crow (Pequeno Corvo), perpetraram numerosos massacres de soldados mas também de civis.
Várias centenas deles, inclusive mulheres e crianças, morreram sob as armas sioux
.

Consequências:

Alguns anos depois da batalha de Little Bighorn, em 15 de dezembro de 1890, no ato de sua prisão e da intensa luta que se seguiu, Sitting Bull e seu filho Crow Foot (Pé de Corço) são abatidos. O chefe dos sioux, Touro Sentado, era o símbolo da resistência aos brancos que usurpavam o ouro de suas terras.
Ele havia comandado especialmente a batalha de Little Bighorn, onde o general Custer e o 7º Regimento de Cavalaria foram massacrados.



Em 29 de dezembro de 1890, ocorreu o massacre de Wounded Knee (Joelho Ferido). No estado de Dakota do Sul, cerca de 400 indígenas sioux, principalmente mulheres e crianças, são exterminadops pelas tropas norte-americanas. O massacre de Wounded Knee pôs fim às querras indígenas que grassavam na América do Norte depois do começo da colonização branca do século 17. 

Os brancos declararam então que a conquista dos territórios do oeste havia terminado ao preço da matança da grande maioria da população autóctone.


Fonte: Opera Mundi 

1 comentários:

Anônimo disse...

O"diobo loiro" resolveu atacar ,mesmo o exercito possuindo metralhadoras Gatling na batalha,ao invez de esperar essas armas se posicionarem,num ato de arrogacia ,tipico dele se lançou contra os indios com as consequencias que conhecemos

Postar um comentário